domingo, 24 de outubro de 2010

Entendendo Atos 16:31


Existem muitos textos mal interpretados durante a história da igreja cristã. Muitos deles têm gerado confusões absurdas, que se perpetuam por séculos na história do cristianismo.
Quero analisar o texto de Atos 16:31: “Eles responderam: “Creia no Senhor Jesus e serão salvos, você e os de sua casa”.
A má interpretação desse texto tem levado pessoas a acreditarem que a salvação de sua família está garantida, pois converteu-se. Alguns (que particularmente considero analfabetos bíblicos e teológicos) tem pregado que se uma pessoa se converte, toda sua família se converterá também. Esses malucos chegam a dizer assim: “se minha mulher não for para o céu, eu também não vou” ou ainda: ”se você pensa diferente de mim, você é contra a família.”
Vamos fazer uma análise do texto de Atos 16:31. Vejamos as possibilidades existentes.
A-   O texto realmente afirma que se uma pessoa da família se converter todos os demais se converterão também.
B-   O Carcereiro não perguntou pela salvação de sua alma, mas sim da condenação por parte do império romano por ter deixado os presos fugirem.
C-   O Carcereiro não perguntou pela salvação de sua alma, mas o apóstolo respondeu sobre a alma do mesmo.
D-   A promessa é literal para o carcereiro e se cumpriu no versículo 33.
Vamos trabalhar por eliminação:
1-    A alternativa “A” não pode ser verdadeira, pois as Escrituras afirmam que cada pessoa comparecerá individualmente perante Deus. Sabemos ainda que a salvação é individual. E ainda, quantos filhos de crentes, de pastores não foram para o inferno? Então de maneira nenhuma o texto é literal para todos os crentes.
2-    A alternativa “B” parece muito atraente. É verdade que se um carcereiro deixasse os prisioneiros fugirem ele pagaria esse erro com a pena de morte, o que incluía também sua família. Mas será que essa era a real preocupação do carcereiro? Observe o seguinte: A pergunta que ele faz: “O que devo fazer para ser salvo?” ocorreu depois de ele pensar que os prisioneiros haviam fugido (Vers. 27), depois de Paulo ter gritado que todos estavam ali (28) e mais, depois de ter pedido uma luz e visto que realmente todos permaneciam juntos (29). De maneira nenhuma ele seria condenado, ninguém fugiu. Ele poderia ter sido considerado era um herói, pois nenhum prisioneiro havia fugido mesmo com todas as portas abertas e todas as correntes soltas. Embora a alternativa “B’ pareça atraente, de maneira nenhuma poderá ser considerada verdadeira, pois a pergunta do carcereiro estava ligada a salvação de sua alma.
3-    Aceitar a alternativa “C” é chamar Paulo de “idiota”. Ele não entendeu a pergunta do carcereiro? Ele respondeu de maneira contrária para confundir o homem? Paulo entendeu perfeitamente o questionamento e respondeu de maneira adequada. Perceba que Paulo pregou para o carcereiro e para toda sua família (31).
4-    A alternativa apropriada seria a “D”. A promessa era literal, para o carcereiro, e se cumpriu na vida dele.
Erros como esse são freqüentes pelo simples fato de muitas vezes os irmãos desconsiderarem o contexto imediato do texto (versículos anteriores e posteriores) e o contexto geral das Escrituras sobre determinados assuntos.
Ao interpretar uma promessa, perceba que existem promessas gerais, que se aplicam a todos os santos da história e aquelas que são específicas que se aplicam a um grupo ou a um cidadão. Esse é o caso de Atos 16:31, uma promessa especifica para o carcereiro.
SOLA GRATIA.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Querido visitante,
Seu comentário é precioso, por isso não deixe fazê-lo, porém peço que se identifique. Assim como tenho coragem de dizer o que penso, espero que você também o tenha. Se for covarde, lembre-se que esse tipo de pessoa nem o Reino dos céus irá herdar.
Se você não tem conta Google, use a função openID.
Grato.